Ano passado, a Pantone apontou como tendência a cor Rose Quartz, definida como "um pink suave e romântico", conforme publicamos aqui no blog. O tom se espalhou tanto pelas grandes lojas quanto na decoração. Agora, renasceu em um matiz um pouco mais escuro, nomeado Rosa Millennial. Uma grande surpresa, já que em 2017 a atenção estava voltada para o verde Greenery, também uma aposta da Pantone.

Ao contrário do que muitos pensam, a definição de millennial demonstra que a cor é para todas as idades e todos os gêneros. Ganhou espaço graças ao impulso midiático e, por isso, também é chamado de "Rosa Tumblr". No Instagram, os filtros com efeito "envelhecido" fortalecem a presença do tom. A cor está tão em alta que até o vinho rosé voltou a ser protagonista nas recepções. 

No universo da decoração, o tom chega como um rosa quase queimado, partindo do bege avermelhado e indo até o pêssego. É mais envelhecido, elegante e sofisticado. A tendência também se deu partindo do cobre, que está bem presente atualmente.

Dentro de casa, o objetivo é brincar e ousar com a cor. Ela pode estar em paredes, móveis, objetos. O segredo é utilizá-la de forma pontual ou mais notadamente no ambiente. Uma das possibilidades é combinar com cores inusitadas como o greenery, o azul, o preto e tons de cinza para garantir um ar mais maduro, em ambientes como a sala ou a cozinha. E a aposta no rosa millennial parece ter vida longa: os tons de rosa continuarão a ser uma escolha frequente na arquitetura com variações de nuances.